Tuesday, February 07, 2006

DESENCONTRO

Com a expressão serena e o frio nas mãos
Esperava ansioso pelo encontro do desconhecido.
Surpreendeu-se com os olhos da noite
E quis abraçar os sentidos sem pensar na razão.
A voz tremeu ao tentar desempenhar o papel que se propusera
Mas a fantasia diluiu-se com o toque das suas mãos...
Foi embora... a expressão do seu rosto era vazia,
E continuou com as mãos frias...

1 Comments:

Blogger Ana Maria said...

Poetisa a tua poesia é sede dos meus labios!
abre a janela e deixa o sol entrar na tua casa.
Palmas, chap, chap.

2:27 AM  

Post a Comment

<< Home